sexta-feira, 22 de outubro de 2010

GESTÃO COM E PARA PESSOAS



Dando continuidade ao Projecto "ENTREVISTAS", apresento uma pessoa que entende de PESSOAS e acredita na humanização verdadeira da área de RH. Ela irá abrilhantar este espaço falando sobre aGESTÃO COM PESSOAS e mais sobre o ser humano nas organizações.
Paula Alexandrisky é Economista, Especialista em Gestão de Pessoas e Orientação de Carreira, Gestora da Área de Pessoas do Centro Universitário Plínio Leite(UNIPLI) em Niterói- RJ(Brasil), Professora Universitária dos Cursos de Administração de Empresas e Pós Graduação em Gestão Empresarial, Consultora de Recursos Humanos e Palestrante.
Apaixonada pelo seu trabalho e pela vida. Pratica na essência os conceitos: autoconhecimento, reflexão, busca de informações e escolhas. Erra e acerta, mas é uma optimista em relação ao que a vida apresenta.
Como Paula iniciou sua carreira na área dos Recursos Humanos e o que a motivou?
Na verdade descobri a área de RH depois que já estava cursando Economia da UFF(Universidade Federal Fluminense), em Niterói (RJ). Já havia cursado 65% do curso, quando me dei conta de que não era aquela profissão que queria seguir. Pesquisei, entrevistei profissionais do mercado de trabalho e conheci a área de Recursos Humanos, me apaixonei! Decidi terminar o curso de Economia e depois me especializar em Gestão de Pessoas. Foi depois do MBA que fiz na FGV(Fundação Getúlio Vargas)no Rio de Janeiro que comecei a trabalhar com a implementação do Sistema de Qualidade ISO 9001 e depois com Treinamento e Desenvolvimento de Equipas(Formações). Fui convidada para montar a área de RH numa Instituição de Ensino com 9.000 alunos e 900 funcionários, entre docentes e técnicos administrativos. Estou lá há seis anos, hoje também dou aula nos cursos de Administração e na Pós-graduação de Gestão Empresarial. Adoro o que faço! Mas não paro por ai, estou a me especializar em Orientação profissional e Gestão de Carreira.
O que pensa dessa designação: área de "recursos humanos". Acha que com todos os avanços da administração, essa nomenclatura já deveria ter mudado? Será que as pessoas são mesmo recursos? Gostaria que comentasse.
Com certeza já deveria ter sido alterada, mas acredito e pratico uma gestão humanizada, que entende as pessoas e faz com que elas se tornem donas de si. Este é o real objectivo da área. Acredito que deveria chamar Gestão COM e PARA as pessoas, pois as pessoas em definitivo não são um recurso e sim as realizadoras de projectos. Projectos organizacionais, financeiros, de carreira e, principalmente, projecto de vida.
Como Paula vê o papel da área de Recursos Humanos nas Instituições de Ensino Superior (IES) e nas empresas de modo geral no actual momento, visto que o Brasil cresce exponencialmente, em relação à outros países.
A área de RH deve estar cada vez mais na gestão estratégica das organizações e governos. Esta é a área que tem o objectivo de orientar as lideranças a preservar a cultura, promover mudanças e tornar as pessoas mais felizes. Esta é a forma de todos atingirem excelentes resultados, não só para as empresas, mas para as suas vidas em particular. Quando possibilitamos que as pessoas encontrem seus lugares e compreendam o sentido de suas actividades todos ganham. As empresas ganham, pois atingem sempre melhores resultados, e os indivíduos ganham, pois se desenvolvem continuamente.
Como conciliar as competências individuais e a estratégia da empresa, num mundo onde as respostas têm de ser rápidas onde tudo é urgente neste mundo globalizado?
O indivíduo precisa, através do seu plano de carreira, traçar objectivos e identificar seus verdadeiros valores.A partir daí será possível harmonizar as competências individuais com a competências empresariais. Basta se preparar e escolher aquela organização que tem a ver com suas crenças.
Como a área de Recursos Humanos pode contribuir para que o líder se torne estratégico?
Auxiliando-o a ter segurança em suas próprias competências. Como? Através de programas que o desenvolva profissional e pessoalmente. Com o seu talento fortalecido o líder está pronto para desenvolver e formar equipas de alta performance.
Concorda que o papel do profissional de RH é também o de um educador? Afinal é parte das competências do profissional de RH ser gerador de mudança nas empresas...Pode comentar?
Concordo plenamente. O profissional de RH precisa conhecer o perfil das pessoas que fazem parte da organização para promover um ambiente de desenvolvimento de conhecimento, habilidades e atitudes. Fazer com que as pessoas exercitem o autoconhecimento e façam suas escolhas de forma saudável e feliz, promover reflexão sobre quem somos e o que queremos da vida, respeitando os interesses de cada um. É um papel fundamental da área de Gestão de Pessoas.
Na sua opinião, o que o Mundo Académico pode fazer para se aproximar do Mundo do Trabalho? Pois sabemos que muitas vezes essas duas áreas ainda não se aproximam.
Sem dúvida este é um grande desafio que temos pela frente. A Academia precisa mudar sua forma de ver o mundo, entender as demandas de crescimento não só do mercado de trabalho, mas também do ser humano individual e pleno. A área académica precisa desenvolver programas que atendam aos vários perfis e talentos existentes. A criação de um Núcleo de Carreira e Empregabilidade na Universidade é um bom caminho para trabalhar quatro grandes pilares:
1. Divulgação dos cursos de Graduação(Licenciaturas em Portugal) e Tecnólogos nas Escolas de ensino médio, através de um processo de orientação profissional, para que o jovem possa adquirir informação e fazer uma escolha de acordo com suas competências e interesses.
2. Promoção de uma reflexão, através da disciplina Orientação e Planeamento de Carreira no 1º período de cada curso,para que os alunos possam planear suas carreiras e refletir sobre o seu futuro profissional desde o início da faculdade.
3. Aumento da empregabilidade do aluno através da orientação ao aluno que vai participar de uma entrevista de
1º emprego ou busca uma promoção no seu trabalho (funciona como um coaching de carreira).
4. Promoção de palestras e mesas redondas com profissionais do mercado para os alunos a partir do 5º período (graduação) e 2º período tecnólogos, incluindo também os alunos de pós-graduação, extensão e mestrado.
Gostar de pessoas é fundamental para se atuar em RH... Que outras fortes características e valores diria que sejam imprescindíveis também?
O profissional de RH precisa ser um ótimo comunicador, saber passar as ideias e principalmente saber ouvir as pessoas; precisa conhecer a cultura e o modelo de gestão da empresa em que atua e conhecer as tendências e mudanças que o mercado de trabalho nos impõe. Mas a característica que acredito ser a principal, é entender que o ser humano é único, que possui interesses e competências únicas e que precisa ser respeitado e estimulado a buscar o seu sonho.
Como vê a "Era da Espiritualidade" no mundo corporativo. É possível ser mais humano nas relações com seus colaboradores, comunidade, clientes, parceiros e como a área de RH pode interferir nesse processo?
Essa é minha filosofia. O ser humano é pleno e busca constantemente sua felicidade, entendê-lo de forma holística nos possibilita respeitar e nos relacionar de maneira humanizada com todos ossteakeholders.
Para finalizar, em sua prática pessoal e profissional o que acha que faz uma pessoa se tornar um ser humano integral?Para conquistarmos a integralidade precisamos em primeiro lugar nos conhecer em profundidade, saber o que nos motiva, o que nos incomoda e o que desejamos em cada etapa de nossa vida. Acredito ser esse o caminho que nos leva através de erros e acertos, a conquistar os nossos sonhos.

13 comentários:

Luiz Mattos Alexandrisky disse...

Sendo suspeito para opinar porem sendo totalmente imparcial,a entrevista é excelente

Luís Dias disse...

Parabéns pela entrevista.

Elis Dias disse...

A entrevistada merece os parabéns!!!

CHANDE disse...

Atualizada como sempre traz respostas simples a perguntas assíduas. Dinâmica e criativa foca a Gestão "com" pessoas base para uma estrutura de sucesso.
Assertivas de real conteúdo.

Igor disse...

Palavras necessárias e discurso providencial que merecem atenção e espaço nas organizações para que a suas apropriações ocorram efetivamente na prática. Excelente entrevista!

Oliria disse...

Entrevista excelente, uma boa aprendizagem e importantes esclarecimentos sobre a área de RH.
Parabéns, Paula.

Roberto Rodrigues disse...

Muito boa a entrevista, valeu a pena ler e guardara as palavras, esclarece de forma elegante as preocupações e as realidades do mundo empresarial e acadêmico. Parabéns!!

Simone Oliveira disse...

Muito boa a entrevista de Paula Alexandrisky concedeu à colega portuguesa,também da área de Gestão: uma entrevista concisa, clara e esclarecedora.

Paulino Nóbrega disse...

A entrevista da Paula foi muito boa , as perguntas bem formuladas e atuais e as respostas com um teor bastante técnico e um pequeno tom ideologico como o tema sugere!!!

Parabéns !!!

Paulino Nóbrega

Angela Mello disse...

Foram merecidos os muitos elogios recebidos pela entrevista. Você vai muito longe, pela capacidade e pela pessoa especial que é.

Anônimo disse...

Muito boa a entrevista.
Parabéns!

FLÁVIA MELLO disse...

Eu sou com muito orgulho parceira dessa ilustre e honrada profissional. Acredito e admiro muito o seu trabalho, pois tudo o que você fala, você faz. O seu amor pelo ser humano, a sua maneira sábia e tranquila de conduzir situações extremante difícies é o seu diferencial. Isso é fruto de muito estudo, amor a vida, ao trabalho e as pessoas. É muito bom trabalhar e aprender com você, minha companheira de trabalho, amiga e irmã de alma.Parabéns por tudo!
Flávia Mello
Jornalista, consultora e professora.

Anônimo disse...

EU AMEI A ENTREVISTA!!!
PARABÉNSSSSSSSSSSSSSSSSSS...
QUERO SEU CONTATO. JULIANA GUIMARÃES