domingo, 7 de setembro de 2014

INSPIRAÇÃO - Mulher de 97 anos se forma em Direito

Quantas vezes ouvimos(ou até falamos) já estou muito velho ou velha fazer isso ou aquilo... Mesmo que o tal isso seja um sonho antigo, um projeto que não pode ser realizado numa dada altura da vida pelos mais diferentes motivos. 
Após conhecer a história de vida de Chames Salles Rolim, penso que nunca mais nossas desculpas poderão ser as mesmas. Se ela aos 97 anos conseguiu... qual desculpa você vai inventar? 
Nas muitas matérias que li sobre Dona Chames ela está sempre a afirmar:"Minha vontade é ser útil".
É a mais pura inspiração para todos nós. Obrigada D. Chames!
Leia entrevista abaixo retirada na íntegra do site Diário do Aço.
http://www.diariodoaco.com.br/noticia/83083-9/especial/a-minha-vontade-e-ser-util
IPATINGA - Acostumado a registrar diariamente a movimentação de inúmeros estudantes de Direito por seus corredores e salas de audiência, o Fórum de Ipatinga recebeu essa semana a visita de uma formanda notável: a nonagenária Chames Salles Rolim. Dona de um olhar sereno e ao mesmo tempo determinado, dona Chames - como é carinhosamente chamada pelos amigos - tem 97 anos e está prestes a alcançar o diploma de bacharel pela Faculdade de Direito de Ipatinga (Fadipa). A entrega do canudo ocorrerá no dia 7 de agosto, no auditório Fiemg, no antigo Centro de Desenvolvimento de Pessoal da Usiminas (CDP).
Como um dos últimos requisitos a serem cumpridos para a conclusão do curso de Direito, a universitária compareceu ao fórum nos últimos dias para acompanhar a realização de audiências e produzir relatórios. Chames revelou que foi a primeira vez que esteve no prédio. “Não conhecia nada aqui e nem sabia como funcionava na prática, mas estou assimilando o máximo que posso”, comentou.
Das audiências da 1ª Vara de Família, a formanda destacou a satisfação provocada pelas conciliações. “Participei de audiências de divórcio e de alimentos com o Dr. Carlos Roberto de Faria (juiz de Direito) e achei espetacular ver os casais chegando a um acordo”, disse.
Já sobre as audiências criminais, a universitária ressalta a capacidade que têm de desnudar a essência humana. “Nessas audiências, passamos a conhecer melhor o ser humano. Vemos além das aparências”, avaliou.
Perguntada sobre quais são seus planos para depois da conquista do bacharelado, Chames revela que seu objetivo está além da carreira profissional: ela deseja auxiliar a sociedade compartilhando o conhecimento adquirido.  “Sei que a minha idade não me dá muito prazo. Por isso, o que eu quero é ser útil a quem me procurar, compartilhar o conhecimento. E se eu não souber responder algo, orientar a pessoa a buscar quem saiba”, frisa.
Filha dos libaneses Selim José de Salles e Canuta Rosa Salles e irmã do ex-prefeito de Ipatinga Jamill Selim de Salles, a estudante acredita que a instrução é o primeiro passo para a transformação social. “O ser humano deve aprender a distinguir entre o bem e o mal e, para isso, precisa ter acesso a uma fonte esclarecedora. Se eu puder ajudar nisso, ficarei muito feliz”, ressaltou.
Perseverança
Chames Salles Rolim nasceu em Santa Maria de Itabira e mudou-se para Santana do Paraíso aos três anos. Trabalhou a maior parte da vida na farmácia do marido José Maria Rolim, com quem foi casada por 63 anos e teve dez filhos. Atualmente, mora em Ipatinga com um filho.
Fazer um curso superior sempre foi um sonho da nonagenária, mas ela só decidiu entrar para a faculdade após a morte do marido, que era bastante ciumento e não aprovava a ideia. Apaixonada pelo universo de conhecimentos que o Direito lhe abriu, a estudante afirma que se fosse mais nova, se matricularia no curso outra vez. “No Direito, há sempre muito a aprender. Esses cinco anos foram maravilhosos e eu só tenho a agradecer à Fadipa”, enfatizou.
A formanda, que é absolutamente lúcida e ativa, pratica hidroginástica todas as manhãs, tem o hábito de escrever poesias e diz preferir as madrugadas para estudar, por conta do silêncio.
Sobre as pessoas que colocam na idade a justificativa para não mais aprender, ela comenta com uma palavra “-Paresse!” (que, em francês, significa ‘preguiça’)”. Em seguida, complementa: “A gente sempre pode aprender, mesmo que seja a conviver melhor com as pessoas”.
A graduação de dona Chames está sendo festejada por familiares, amigos e até por desconhecidos, de diferentes estados brasileiros e também do exterior. Diariamente, a formanda recebe inúmeras mensagens de parabéns. “Fico muito feliz e espero contar com a presença de todos na minha colação de grau”, convida. Além do conhecimento jurídico, a universitária afirma que levará da graduação as lembranças de cada professor, o carinho recebido e a saudade dos amigos. “Isso ficará pra sempre”, finaliza. 
Exemplo
A presença da estudante nas instalações do fórum de Ipatinga chamou a atenção dos servidores públicos. O juiz da 1ª Vara Criminal, Luiz Flávio Ferreira, comentou ter ficado surpreso com a participação de dona Chames nas audiências. “A presença dela traz motivação para todos nós. É um grande exemplo”, resumiu.
Impressionado pelo interesse e curiosidade da formanda pelos fatos das audiências, o promotor de Justiça, Samuel Saraiva Cavalcante, elogiou a determinação da universitária. “É um grande privilégio conhecer um exemplo como a dona Chames. Não tenho dúvidas nenhuma de que ela muito ensinou e ensina a todos que conviveram com ela durante a faculdade”, pontua.
O defensor público Alexandre Heliodoro dos Santos, por sua vez, também destacou o estímulo trazido pela visita da nonagenária ao fórum. “É tocante poder presenciar essa lição viva de perseverança e determinação. Que possamos nos espelhar na dona Chames para atingirmos nossos objetivos”, cita.
Convido vocês a assistirem abaixo a entrevista que Dona Chames concedeu:


sábado, 6 de setembro de 2014

Jovem se torna médico com ajuda de livros encontrados no lixo!

Imagem retirada de http://www.meionorte.com/noticias/jovem-brasiliense-se-torna-medico-com-ajuda-de-livros-encontrados-no-lixo-e-em-paradas-de-onibus-252703

É o tipo de história que nos inspira. Parabéns Cícero por teres persistido! 
Leia na íntegra
Retirado integralmente do site http://www.meionorte.com/noticias/jovem-brasiliense-se-torna-medico-com-ajuda-de-livros-encontrados-no-lixo-e-em-paradas-de-onibus-252703

Assista o vídeo abaixo com a entrevista deste ser humano que é SUPERAÇÃO: 

Meu pai, antes de morrer, pediu ao meu irmão mais velho que cuidasse de nossa família, mas ele não suportou. Ele se envolveu com as drogas e passou a usá-las dentro de casa. Isso aqui era cheio de gente drogada. Eu via meu irmão cheirando cocaína ao meu lado.

Em meio ao caos, Cícero buscou meios para sua própria subsistência. E o foi buscar no lixo o que comer. Entre lágrimas, ele lembra o que precisava fazer para comer e ajudar a irmã mais nova.

Eu tinha que chafurdar no lixo para encontrar comida. E muitas vezes encontrava pedaço de carne podre, iogurte vencido, resto de comida que ninguém queria. Era aquilo que me alimentava. E no meio do lixo surgiu a minha oportunidade de uma vida melhor.

No meio aos restos, Cícero encontrava livros e discos de vinis velhos. Os livros passaram a ser o refúgio de tanta desgraça. Os vinis, a trilha de uma trajetória que ele jamais imaginava percorrer.

Eu lia tudo que encontrava pela frente. Eram livros velhos manchados pelo chorume de lixeiras de supermercados, mas era a única coisa que eu tinha. Os vinis eu escutava na casa de um vizinho. Beethoven e Bach foram minhas inspirações.A irmã de Cícero o matriculou na escola pública próxima a sua casa. Só conseguiu chegar ao ensino técnico graças à ajuda de professores e amigos. Decidiu fazer o curso de técnico em enfermagem que passou em segundo lugar na seleção feita pelo Cespe, banca que integra a UnB (Universidade de Brasília).


Ao concluir o curso logo veio a primeira vitória. Foi aprovado no concurso da Secretaria de Saúde para técnico em enfermagem e passou a trabalhar no HRT (Hospital Regional de Taguatinga). Mas ainda era pouco para quem estava acostumado com tanta dificuldade. Então ele buscou o que já procurava desde a infância. Passou para o vestibular de medicina em uma faculdade particular de Araguari.

Cícero estudava de segunda a sexta-feira e aos fins de semana tirava plantão de 40 horas no HRT. Não tinha outro jeito. Acabava perdendo as aulas da manhã de segunda, mas tinha a ajuda dos professores. O salário que recebia ia todo para o pagamento da mensalidade. Sobrevivia de doação e da própria determinação.

Como a rotina estava muito difícil, Cícero decidiu fazer o Enem e tirou nota suficiente para lhe garantir uma bolsa de estudos em uma faculdade particular do DF. Passou a estudar medicina no Gama onde enfrentou o preconceito racial e a rotina de estudos. Mas para quem trazia cicatrizes da infância, ser vítima de preconceito era apenas mais uma etapa a ser vencida.

Eu nunca pensei em desistir. Meus companheiros sempre foram os livros e a música clássica me dava leveza de espírito para seguir em frente. Eu pensava que se Beethoven se tornou um dos grandes compositores da história eu também poderia me tornar um bom médico.

E deu certo. No dia 6 de junho deste ano, o menino Juca se tornou o Dr. Cícero Batista. Na formatura foi ovacionado por professores, colegas e os pais daqueles que costumavam discriminá-lo por ser negro e pobre.

Hoje faz questão de contar a própria história no lugar onde tudo começou. A casa ainda sem nenhum conforto na QNL 20 é o lugar que abriga a mãe e os livros achados no lixo e nas paradas de ônibus. Os planos agora são outros, mas sempre focados em dias melhores.

Eu quero justificar a confiança que meus professores e meus amigos depositaram em mim. Por isso estou focado em me tornar um bom médico, dar uma vida melhor para minha mãe e depois me especializar em psiquiatria ou pediatria. Mas ainda penso estudar Direito, quem sabe.


segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Gratidão pela Formação em Receção e Encaminhamento!

Nossa singela homenagem à querida Marta, você estará para sempre em nosso CORAÇÃO! 





No dia 31 de Julho, finalizei a Formação Receção e Encaminhamento,  no Centro S. São Martinho de Aldoar, pela Competências
Esta formação foi bastante especial com pessoas fantásticas maravilhosas, onde aprendemos mais que o conteúdo proposto, aprendemos sobre a vida, sobre a sua transitoriedade e a certeza da impermanência. 
Deixo aqui uma singela homenagem a formanda Marta G. que partiu repentinamente ao longo de nossa formação, na viagem que todos iremos fazer. Ela está viva e apenas mudou de plano. Aprendemos muito contigo Marta, obrigada! 
Aprendi muito com todas vocês, por isso deixo minha profunda GRATIDÃO!
Fui agraciada com lindas flores que iluminaram minha casa e uma mensagem linda. 
Posso apenas dizer, OBRIGADA! OBRIGADA! OBRIGADA à cada uma de vocês.
Foi tudo especial
Até breve.
Com amor. 
Elis Dias

Gratidão! Formação Desenvolvimento Pessoal e Procura de Emprego

Quero agradecer a Fantástica turma do Curso de Desenvolvimento Pessoal e Técnicas de Procura de Emprego, realizado na Sede da Editus em Matosinhos, finalizado em 11 de Julho, último.
Forma ótimos momentos partilhados por todos, num curso com muita prática, reflexão e alegria. 
Agradeço à TODOS(AS) os formandos que lá estiveram que com seu contributo especial, abrilhantaram esta formação. 
Desejo FOCO, SUCESSO, PERSISTÊNCIA e CONFIANÇA a cada um de vocês. 
Ps: No momento desta  foto não estavam todos os formandos, pois alguns já tinham se ausentado por motivos diversos.  Fica aqui minha gratidão à todos eles. 

Gratidão! Formação Trabalho em Equipa!

Quero deixar meu profundo agradecimento aos formandos da Formação em Trabalho em Equipa, realizado na Editus, em Matosinhos finalizado em 31 de Julho.
Agradeço também à Equipa da Editus: Helena, Paula e Patrícia, sempre presente e  prestativas.
Foram momentos de intenso trabalho em equipa como o próprio nome da formação diz, muita prática e troca de experiências, além de muita alegria, para que todos possam sempre atuar como pessoas positivas e possam contribuir com as empresas para se tornarem organizações mais positivas.
SUCESSO, PAZ e SORRISOS!
Com amor.

GRATIDÃO!

Com atraso, mas com muita gratidão venho aqui expressar meu profundo agradecimento à Drª Ana Saladrigas responsável pelo Projeto "Reclusão Feminina em Portugal" pela qual fui convidada à colaborar numa ação voluntária no Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo, com as reclusas.
Foi um dia ímpar na minha vida, onde aprendi muito. Fizemos um momento de reflexão com AÇÃO chamado "Qual o seu maior sonho?" num workshop prático de coaching de vida. 
Gratidão às reclusas por sua intensa participação e a Joaninha que integra o projeto com a Drª Ana. 
Um até breve.
Com muito amor.