sexta-feira, 31 de julho de 2015

Você tem feito o seu melhor?

Imagem retirada de http://www.splitshire.com/golden-hour-in-the-valley/
Que possamos sentir diariamente em nossas vidas, que estamos a fazer não tudo, mas o melhor que pudermos em todas as áreas de nossas vidas.
Excelente e profunda reflexão com esse pensamento.
"Fiz o melhor que pude. Esta é toda filosofia de que precisamos" Lin Yutang

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Dica de Filme Divertidamente - Inside Out

Fui assistir o filme Divertida-Mente (Inside Out) está imperdível. Foi lançado no ínicio de junho aqui em Portugal e ainda está em cartaz.
Uma animação muito bacana, com qualidade impecável, que vale boas risadas e excelentes reflexões sobre a importância de reconhecermos TODAS as emoções, inclusive a tristeza muitas vezes banida de nossas vidas como uma vilã, perigosa, considerada como algo ruim do qual precisamos "nos livrar" ...
Tenho recebido feedback muito positivo de todos os que já assistiram. A emoção brota fundo. 
 Não precisamos ficar atolados e perdidos na tristeza, reconhecê-la já faz um bem enorme, tendo a certeza que não dá para sentir alegria o tempo todo. 
Super recomendo!

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Poema da Gratidão!

Foto arquivo pessoal tirada no dia 06/07/2015 em Leça da Palmeira
Já se passaram 4 meses desde a última vez que postei aqui no blog. Tantas coisas ocorreram, diversas experiências tomaram conta da minha vida, mas a mais marcante foi a  partida do meu amado pai para a Espiritualidade Maior. Apesar da dor da saudade, consigo enxergar para além da morte do corpo e ver o quanto cresci e aprendi nesses últimos meses. Foram dois meses em São Paulo, ao lado da minha família. Sou grata pela oportunidade de ter lá ficado. A morte é mesmo um divisor, só que quando temos a certeza que a vida não acaba, nos traz consolo e conforto. 
Portanto apesar da saudade só vem na minha mente um profundo sentimento de GRATIDÃO! Muitos podem dizer como assim, seu pai partiu e você agradece? Sim tive a grande oportunidade de ter estado com meu pai antes de sua grande viagem e só por isso sou grata. Como minha relação com ele sempre foi de muita cumplicidade, o que fica é mesmo muita saudade.
Sou grata à Deus em primeiro lugar por me permitir estar viva e com saúde, aos meus pais por terem me dado a vida para eu poder celebrar o dia de hoje. Sim hoje completo mais um ano de vida, 42 anos. 
Sou grata ao meu querido marido e companheiro de jornada, sou grata à minha família de origem meus dois amados irmão, aos meus doces sobrinhos, cunhadas, tias, tio, primas e primos, aos amigos de longa data e aos que chegaram nos últimos anos e quem já fazem parte da minha vida, pois sabemos que nos conhecemos de outras paragens, são amigos da alma.
Grata pelo meu trabalho e pela oportunidade de poder trabalhar fazendo o que amo, aprendendo e ensinando. SOU GRATA!
Lembrei-me do Poema da Gratidão para conseguir externalizar por tudo que sou grata. 
Ao ler este poema os sentimentos mais profundos me tocam a alma e sou GRATA! 
POEMA DA GRATIDÃO
"Senhor, muito obrigado, pelo que me deste, pelo que me dás!
pelo ar, pelo pão, pela paz!
Muito obrigado, pela beleza que meus olhos vêem no altar da natureza.
Olhos que contemplam o céu cor de anil, e se detém na terra verde, salpicada de flores em tonalidades mil!
Pela minha faculdade de ver, pelos cegos eu quero interceder, por aqueles que vivem na escuridão e tropeçam na multidão, por eles eu oro e a Ti imploro comiseração, pois eu sei que depois dessa lida, numa outra vida, eles enxergarão!
Senhor, muito obrigado pelos ouvidos meus.
Ouvidos que ouvem o tamborilar da chuva no telheiro, a melodia do vento nos ramos do salgueiro, a dor e as lágrimas que escorrem no rosto do mundo inteiro.
Ouvidos que ouvem a música do povo, que desce do morro na praça a cantar.
A melodia dos imortais que a gente ouve uma vez e não se esquece nunca mais.
Diante de minha capacidade de ouvir,
pelos surdos eu te quero pedir, pois eu sei, que depois desta dor, no teu reino de amor, eles voltarão a ouvir!
Muito obrigado Senhor, pela minha voz!
Mas também pela voz que canta, que ensina, que consola.
Pela voz que com emoção, profere uma sentida oração!
Pela minha capacidade de falar, pelos mudos eu Te quero rogar, pois eu sei que depois desta dor, no teu reino de amor, eles também cantarão!
Muito obrigado Senhor, pelas minhas mãos, mas também pelas mãos que aram, que semeiam, que agasalham.
Mãos de caridade, de solidariedade. Mãos que apertam mãos.
Mãos de poesias, de cirurgias, de sinfonias, de psicografias, mãos que numa noite fria, cuida ou lava louça numa pia.
Mãos que a beira de uma sepultura, abraça alguém com ternura, num momento de amargura.
Mãos que no seio, agasalham o filho de um corpo alheio, sem receio.
E meus pés que me levam a caminhar, sem reclamar.
Porque eu vejo na Terra amputados, deformados, aleijados...e eu posso bailar!!...
Por eles eu oro, e a ti imploro, porque eu sei que depois dessa expiação, numa outra situação,
eles também bailarão.
Por fim Senhor, muito obrigado pelo meu lar!
Pois é tão maravilhoso ter um lar...
Não importa se este lar é uma mansão, um ninho, uma casa no caminho, um bangalô, seja lá o que for!
O importante é que dentro dele exista a presença da harmonia e do amor!
O amor de mãe, de pai, de irmão, de uma companheira...
De alguém que nos dê a mão, nem que seja a presença de um cão, porque é tão doloroso viver na solidão!
Mas se eu ninguém tiver, nem um teto para me agasalhar, uma cama para eu deitar, um ombro para eu chorar, ou alguém para desabafar..., não reclamarei, não lastimarei, nem blasfemarei.
Porque eu tenho a Ti!
Então muito obrigado porque eu nasci!
E pelo teu amor, teu sacrifício, tua paixão por nós,
Muito obrigado Senhor!
Divaldo Franco - Amélia Rodrigues