domingo, 22 de julho de 2012

Você Faz o Que Ama?

Este vídeo me foi apresentado por uma amiga querida Paula e retrata a questão do trabalho, passando pelas diversas gerações conhecidas como  Baby Boomers, X e Y que são nomeadamente:
Baby Boomers - Pessoas nascidas entre 1946 a 1964
Geração X - Nascidos entre 1965 a 1977
Geração Y - Nascidos entre 1977 aos anos 2000
Quantas vezes ouvimos que trabalho tem que ser duro, que não se pode mudar o que se faz, que é difícil mesmo, que o mundo não está fácil e passamos a acreditar que é assim. O que o que não é verdade em absoluto. Isto são crenças que absorvemos de que para fazer uma mudança de vida terá que se colocar tudo a perder. Terá que fazer MUDANÇAS, ADAPTAÇÕES, REAJUSTES na vida, isso dará trabalho, terá que sair do habitual, ninguém duvide, mas dizer que é impossível mudar, não é verdade...
Não se pode levar uma vida sem fazer o que se ama ou aprender a amar o que se faz. O vídeo retrata com imagens de filmes e séries todas as gerações (muitos filmes e séries assisti e marcaram minha vida).
Dá o que pensar...
Você faz o que ama? Se não está na hora de mudar isso. Pare de arrumar desculpas e mude o que precisa ser alterado, não espere mais, tome uma atitude para isso.
Eu amo meu trabalho e você?
Veja o vídeo e reflita.

2 comentários:

carlos cunha disse...

Muito interessante o 'post' de hoje. O filme sintetiza bem as mudanças na organização das empresas e das relações de trabalho, a questão sempre importante das motivações e dos caminhos, quantas vezes ínvios, para alcançar o chamado sucesso (material, entenda-se). Como é usual dizer-se, o tema dá 'pano para mangas'. Como, por exemplo: será mesmo viável que cada um de nós só faça o que mais gosta ?

Elis Dias disse...

Olá Carlos! GRATIDÃO por seu comentário tão lúcido. O que vejo como muito importante no vídeo apresentado é que ame o que se faça, seja lá o que for. Muitas vezes a pessoa pode ser impelida a fazer um trabalho do qual não imaginava e pode ocorrer da pessoa nunca mais sair daquela função, em paralelo poderá passar o resto dos seus dias a reclamar do que faz, a dizer que aquilo é um "castigo" o que sabemos não ser verdade. Sim ela poderá mudar sua realidade, mesmo que tenha que permanecer nela, encontrar alternativas, não podemos passar uma vida de lamúrias, a se queixar. Quando percebemos o nosso propósito de vida, automaticamente nos tornamos mais felizes e mudamos nossa realidade, seja ela qual for.Já abordei o tema aqui no blog num post chamado APAIXONADOS POR TRABALHO OU WORKLOVERS.
Mas o tema não se encerra e realmente dá "pano para mangas" e abordarei novamente, pelo que aguardarei com muita alegria sua participação.